domingo, 17 de junho de 2007

Estou deprimida...

Demorei um pouco para fazer o segundo post...
Nesses dias que fiquei sem escrever, não tinha grandes novidades para postar e então acabava sempre adiando...
Eu sou uma pessoa muito rejeitada no meu meio social e profissional. Eu tenho amigas (mais magras), que ultimamente tem se afastado de mim, como se eu fosse uma mala!
Engraçado... elas pensam que eu sou boba em não perceber certas atitudes...
Uma é casada e tem uma filha e a outra está querendo se separar do marido, nada que impeça de termos uma amizade bacana... até então.
A primeira sempre me cobra para eu ir visita-la, só que, quando vou ligar para combinar uma visita, ela nunca pode me atender e quando deixo o recado com o marido dela, para ela me retornar ela nunca me retorna... engraçado né??
A segunda não vê a hora de se separar do marido para levar a vida de solteira de antes: enquanto o marido sofre com a separação - feito um cachorrinho abandonado, ela já providenciou o aluguel de uma casa para morar sozinha e, se tornando frequentadora assídua dos pagodes e tendo casos freqüentes com um colega de trabalho dela e do marido...
O que me deixa chateada com ela é que ela tenta me usar como disfarce do seu caso, para o marido dela não desconfiar e ela pensa que eu já não percebi isso.
Não consigo encontrar uma pessoa que me queira: o meu último namorado me trocou por outra que é separada, tem uma filha pequena e mais magra do que eu...
A culpada dessa minha vida ser um mar de decepções e frutrações amorosa é um vício que tenho lutado arduamente para me livrar: A comida!
Estou lutando com todas as minhas forças para sair dessa compulsão que só tem me levado ao fundo do poço. A minha auto-estima está abalada, quase não tenho saido de casa, as minhas roupas cada vez mais apertadas, me olhar no espelho e ver me rosto mais redondo do que nunca!
Agora minhas únicas e fiéis amigas que eu encontrei são o meu perfil pró Ana que construi, que por meio dela tenho feito bastante amizades pró Ana/Mia que estão me dando a maior força e os meus laxantes...

Nenhum comentário: